sexta-feira, 18 de abril de 2008

Blogagem coletiva: "Analfabetismo no Brasil'.




Hoje é o dia da blogagem coletiva do blog Saia Justa, sobre o analfabetismo, e o tema é:
O que você faz para acabar com o analfabetismo no Brasil?

Ai vai minha pequena contribuição:

Quando criança reprovei na 3ª série de matemática. Minha mãe me bateu e fiquei de castigo nas férias daquele ano.

Cresci com a vontade de ser professora e com um propósito, de nunca reprovar alguém. Pensava eu, “quem sou para reprovar alguém?”.

Quando ingressei na faculdade de pedagogia, fui colega de sala de aula daquela professora de matemática, que me reprovou na terceira série.

Nunca imaginei que um dia seria colega de sala de uma das minhas professoras. A partir daí pude perceber que ser professora é algo muito além de transmitir conhecimentos, ao mesmo tempo em que, “estou professora estou aluna”.

Certo dia a professora de historia da educação pediu um trabalho em grupo de dois. Eu não estava nesse dia em sala de aula. E essa minha “colega e ex- professora” me colocou no grupo dela.

Faríamos o trabalho nós duas. No outro dia ela veio toda feliz me comunicar que faríamos um trabalho juntas.

Eu fiquei estarrecida, pensei comigo: “como posso fazer um trabalho com uma ex-professora que já me reprovou uma vez, será que ela iria me reprovar novamente?”.

Chegou o dia da apresentação do trabalho. A minha “colega e ex-professora” não conseguiu se expressar, eu apresentei o trabalho praticamente sozinha. No final da apresentação, aquela mesma professora, que me reprovou quando eu tinha oito anos, batendo no meu ombro, ela fez o seguinte comentário: “Essa é a minha aluna, merece nota 10, o que eu tenho de metódica na matemática, ela tem de dinâmica em se expressar”.

Ali eu consegui superar um trauma de infância. Mais uma vez posso reafirmar aquele meu pensamento, “quem sou eu para reprovar alguém”.

Hoje sou alfabetizadora, leciono em escolas públicas no município de Várzea Grande – MT. Atualmente estou na promoção social do município, trabalhando no projeto de Educação de Jovens.
Maria Fernanda Figueiredo

4 comentários:

Tânia Defensora disse...

Caramba Fernandinha!
Dizem que a nssa vida dá tantas voltas, nesse caso, a sua deu uma volta e meia. Isso é que eu chamo de peça do destino.
Parabéns pelo post.
Muito bacana.

Georgia disse...

Pôxa, Fernanda que história essa sua. Que experiência valoroza. Eu acho que a professora deve tentar de tudo antes de reprovar um aluno mas às vezes nao existe outro caminho. Talvez se essa sua professora nao tivesse feito isso, sua vida e seus objetivosseriam outros e talvez você nao estaria no lugar onde está hoje.

Quem sabe com essa blogagem você poderá levar para o seu minicípio novas idéias, novos projetos. Pois é essa a intencao da blogagem sobre este tema.

Obrigada pela participacao. Valeu.

Beijao

Cristiane Fetter disse...

É vivendo que se aprende não é?
Você teve maturidade e discernimento para entender o que aconteceu, fantástico Fernando.
Grande post.
Beijocas

Maria Fernanda disse...

Obrigada meninas pelos comentários tão carinhosos.
bjs