domingo, 22 de junho de 2008

Obediência e Educação



Enumeremos alguns símbolos extremamente simples da natureza, mas profundamente reais para nos auxiliarem o raciocínio na escola da experiência. A semente que se resigna à solidão, no claustro da terra, é aquela que germina para enriquecimento do campo; e a que não passa por semelhante processo renovador, de modo geral, se encaminha para os misteres do adubo. A planta que resiste à tempestade, adaptando-se construtivamente ao clima em que foi situada, é a que se esmalta de utilidades e flores, frutos e ninhos, na sustentação das criaturas; aquela, porém, que não tolera as vicissitudes do tempo, desce à própria desagregação, antes de haver cumprido a tarefa para que fora indicada. E assim ser-nos-á possível prosseguir lembrando no educandário da vida: solo que agüenta arado e trator, enxada e pisoteio é o que produz em consonância com as necessidades da multidão; pedra que escora o edifício é a que obedece aos projetos do construtor; fio que comunica a força elétrica para benefício do reconforto é aquele que permanece no esquema de serviço em que foi colocado; violino que irradia a bênção da música será sempre aquele que demonstra firmeza na função a que foi chamado, sem se sobrepor aos planos do artista. Acontece o mesmo, no reino do Espírito. Reconhecemos que não será justo comparar o homem a objetos e seres considerados de condição inferior. O homem é a inteligência que já chegou à Razão e, por isso, é ele o mordomo responsável da vida, mas se não obedece, voluntariamente, em favor do bem de todos, conscientizando as próprias atitudes e aceitando os deveres que se lhe atribuem, ainda mesmo com sacrifício pessoal, a felicidade do Mundo vai se tornando cada vez mais distante e o aprimoramento individual cada vez menos possível.


Emmanuel - Francisco Cândido Xavier - Livro Inspiração

3 comentários:

Lola disse...

Olá, Maria Fernanda,

O homem se julga inteligente, porém, não consigo ver razão nas coisas que ele está fazendo, não está sabendo cuidar do mundo que ganhou. Por isso, o mundo começa "a ir embora", aos poucos...
E o homem ainda se diz o único animal racional!!!
Beijo.

Lunna Montez'zinny disse...

Hoje passei o dia refletindo sobre questões que me chegam e agora me deparo com esse texto deixado aqui por ti. E quando leio que o homem é a inteligência que chegou a razão fico meio tonta, porque acho que o homem não tem razão na maioria das vezes, claro que tem lá as suas excessões, mas estas estão cada vez mais escassas. Será que temos limites? Não sei.

Vinicius disse...

Boa noite.O "homem" tem que "usar" aquilo que Deus o presenteou,e é o que difere o homem com os Peixes por exemplo, ou qualquer outro animal irracional, que é a inteligência.
E usar esta "inteligência" que possuí para "coisas" construtivas e positivas, aproveitando este dom maravilhoso somente para o bem e nada mais além que o bem.
Uma ótima semana pra ti.
Abraços.