segunda-feira, 19 de maio de 2008

Identifique se seu filho é agressor ou vítima de bullying na escola


Bruno Aragaki
Em São Paulo


Pouco antes do horário de ir à escola, a criança diz que tem dor de barriga e pede para faltar. Em casa, não desgruda da Internet. Senhor pai ou responsável: pense duas vezes antes de castigar seu filho ou chamá-lo de preguiçoso. Você pode ter uma vítima de bullying em casa.

O termo vem do inglês "bully" (pronuncia-se 'búli'), que se refere a pessoas que intimidam, agridem ou se aproveitam de outras pessoas - o seu filho, por exemplo.

Seu filho sofre bullying? Então:
Não diga para "deixar para lá" - ou ele pode não mais contar problemas que tenha;
Converse com a direção da escola, se o problema for lá;
Se não resolver, faça boletim de ocorrência em delegacia de polícia;
Se a ofensa for pela Internet, imprima a página e leve ao Ministério Público;
Estimule que seu filho conte como foi o dia na escola.
Um dos desafios para a identificação do bullying é o fato de muitas dessas práticas serem aceitas como meras brincadeiras por pais e professores - crianças que se dão apelidos, fazem gozações e chacotas umas com as outras.

"O que muitos pais não percebem é que, não raramente, essas 'brincadeiras' fazem mal à criança. Em casos extremos, leva ao suicídio", diz a pedagoga Cleo Fante, especialista em bullying.

Segundo a educadora, a popularização da Internet entre adolescentes e crianças é outro fator que contribui para o aumento do bullying, "já que no mundo virtual as pessoas não precisam dar as caras".

Os casos de cyberbullying, praticados pela Web, são tão "prejudiciais para as crianças quanto o bullyings tradicional", afirma Fante.

Como agir diante do bullying

No mundo real ou virtual, o problema requer atenção de pais e professores.

"Um dos maiores erros é menosprezar o sofrimento da criança. Não se deve dizer para o filho deixar isso para lá", diz Fante.

"Há pais que dizem 'eu também passei por isso', o que não justifica o sofrimento da criança. Além do mais, cada indivíduo encara as dificuldades de maneira diferente", diz.

Se a escola é o local em que a criança sofre a intimidação, os pais devem entrar em contato com professores e diretores, que devem coibir esse tipo de ação entre os estudantes.

"É preciso também estimular a auto-estima dos pequenos. As maiores vítimas são as crianças tímidas, que não conseguem se defender e exigir que os colegas parem com a brincadeira. Os pais devem incentivar a criança a fazer isso, sem estimular a violência", diz Fante.

"A criança deve conseguir dizer com firmeza: 'eu não quero brincar', 'eu não sou isso que você está dizendo'. Brigar com o filho vítima de bullying não dará a coragem que a criança precisará para ser firme", explica a pedagoga.

Como identificar o bullying

Muitas vítimas de bullying sofrem caladas, "por vergonha, por acharem que são culpadas ou até merecem os apelidos, ou por falta de oportunidade de diálogo", aponta Cleo Fante.

Cabe, então, a pais e professores a tarefa e identificar se há algo de errado na vida social da criança ou mesmo do adolescente.

"Só consegue notar diferenças quem acompanha o cotidiano do filho. É esse o primeiro passo: ver se a criança está mais irritada, nervosa ou triste que o normal", aponta Fante.

No caso de vítimas de cyberbulling, a compulsão por utilizar a Internet é outra característica.

Filhos "valentões"

Se o seu filho não é vítima de bullying, ele pode ser, ainda, um desses agressores - comportamento que também merece atenção e cuidado dos pais.

"Dependendo da gravidade do ato, o menor pode ser internado para serem aplicadas medidas sócio-educativas", explica o promotor de Justiça Criminal, Lélio Braga Calhau, de Minas Gerais.

No caso de bullying pela Internet - caso a criança ou adolescente espalhe mentiras que ofendam algum colega -, o pai ou quem permitiu o acesso ao computador também pode ser penalizado.

"Alguém que seja negligente com um crime pode também ser responsabilizado, de acordo pelo código penal. Na área cívil, pode haver processos por danos morais e a família ser obrigada a pagar indenizações", diz Calhau.

Para identificar se o seu filho está intimidando outras crianças, a pedagoga cita algumas características comuns aos agressores: "os jovens que praticam bullying costumam ser hostis, usam força para resolver seus problemas e são intolerantes".

Os pais não devem elogiar nem estimular os filhos briguentos e valentões. Devem conversar e, se necessário, procurar ajuda de profissionais especializados, como psicólogos.
Leia mais
Controle de pais é ferramenta útil para proteger filhos na Internet
Softwares que ajudam os pais
Escolas deduram aluno pela Internet
Professores também são vítimas de cyberbullying

7 comentários:

Vinicius disse...

Bom dia.Sou visitante novo do teu blog, e logo visitando aprendi algo que nem imaginava, esse sintoma , a bullying....
Muito interessante....Parabéns, teu blog tá esclarecedor e informativo.
Te desejo uma ótima semana.
Abraços.

Maria Fernanda disse...

Obrigado Vinicius pela visita.
Abraços

Tânia Defensora disse...

Oi Fê!
Quando criança foi vítima de "bullyng", só agora descobri o nome.
Meu irmão do meio também foi motivo de chacota, tinha orelhas de abano e vivia sendo gozado pelos colegas.
Lembro que a coisa mais frustrante para nós era ouvir nossos pais falando que se a gente zangasse seria pior, pois, aí é que o apelido pegaria.
Os pais deveriam se importar mais com os sentimentos de seus filhos!
Beijos

Jeanne disse...

Eu era diferente no vestir, usava roupas mais sofisticadas ao invés do jeans camisetas e tênis da minha época de adolescente, mas apesar de tímida e quieta, acho a personalidade forte prevaleceu, nunca tive este problema.
li com muita atenção, trabalho com crianças na evangelização infantil, se aparecer algum caso, estarei mais preparada pra ajudar a resolver.
Parabéns pela escolha do tema, beijos

Renata Emy disse...

Oi Fernanda!

Show da Ivete foi massa d+ né? Essa mulher manda mto bem!!!

Agora é só esperar o da Cláudia Leitte, Capital Inicial, Victor e Léo... [Expoagro]

Dinheiro p/ q te quero! hehe...

Ótimo feriadão!

Beijos

Maria Fernanda disse...

Verdade Renatinha... adorei o show tb.
Vamos marcar para curtir juntos os próximos.
bjs

Denise Carceroni disse...

Obrigada pela visita! Não conhecia seu blog e estou linkando o meu.
Muito importante essas informações sobre bullying, uma prática que sempre existiu e que está cada vez mais freqüente.

Super Beijo

Denise Carceroni