sábado, 26 de julho de 2008

CONSTRUIR



Para construir a floresta a natureza gasta séculos de serviço.Para destruí-la, basta a chispa do fogo.
Para construir a casa, grande turma de obreiros despende longos dias.Para destruí-la, basta um só homem de picareta, no espaço de algumas horas.
Para construir um jarro de legítima porcelana, o ceramista utiliza tempo enorme de vigília e preparaçãoPara destruí-lo, basta um martelo.
Para construir o avião, primorosa equipe de técnicos associa prodígios de inteligência, na ação de conjunto.Para destruí-lo, basta um erro de cálculo.
Para construir o depósito de combustíveis, o homem é constrangido a providências numerosas, alusivas à edificação e à preservação.Para destruí-lo, basta um fósforo aceso.
Para construir a cidade, o povo emprega anos e anos de sacrifício.Para destruí-la, basta hoje uma bomba.
Irmãos, sempre que chamados à crítica, respeitemos o esforço nobre dos semelhantes.Para construir, são necessários amor e trabalho, estudo e competência, compreensão e serenidade, disciplina e devotamento.
Para destruir, porém, basta o golpe.



ANDRÉ LUIZ (Do livro Ideal Espírita, cap. 61, edição CEC)
Site Espírita André Luiz

5 comentários:

Georgia disse...

Oi Fernanda, que esse seu texto tá transbordando de verdades.

Boa semana

Beijao

Mirian Martins disse...

Oi,

é, precisamos estar mais atentos a essa dinâmica de construção/destruição!!
Tem um selo pra você lá no GenteSemSaude!!!
Abraço.

Cristiane Fetter disse...

A linha que separa o construir do destruir é tênue mesmo. Por isso as vezes não entendemos o porque de algumas não darem certo, quando tudo corria para isso.
Lindo texto.
Beijocas

Espaço Mensaleiro disse...

Maria Fernanda, muitas saudades.

Demorei por falta de tempo.

Um grande beijo.

Eliana

Renata Emy disse...

Oiê minha querida!
Sumida hein?!?
Vim avisar que tem prêmio p/ vc em meu blog!
Passa lá! ;D
Bjs